10.1.15

Diário de Bordos - Cole Bay, St. Maarten, Antilhas Holandesas, 09-01-2015, cont.

Nunca mais vi G. de cuecas. Agora aperalta-se. Deve ser por causa da chegada de uma jovem senhora, com a qual fala bastante. Em troca ela usa-lhe o computador enquanto ele vai trabalhar (ainda não percebi bem em quê ou para quem. Sei que tem um barco que ou se afundou ou sofreu bastante com o ciclone Gonçalo. No sábado a seguir ao fim do ano tirou o mastro do fundo da laguna. Estava torcido porque foi um dos que passou debaixo da ponte. A qual estava, naturalmente, fechada).

Verdade seja dita que não o vejo de cuecas, mas vejo-lhe as cuecas: os calções nem para trapos davam. Têm mais buracos do que tecido.

Hoje tentava resolver um dilema dilacerante, passe a aliteração: só tinha dois dólares e não sabia se devia ir ao chinès comprar uma cerveja (um dólar e vinte e cinco cèntimos) ou ir ao Lagoonies (dois dólares). "É melhor ir ao Lagoonies mais tarde, quando já estiverem todos bêbedos. Agora ninguém me paga uma cerveja. Daqui a duas horas sim".

Foi, por conseguinte e justificadissimamente ao chinês.

É um dilema que eu conheço muito bem, em termos diferentes. Sou incapaz de ir a um bar à espera de que alguém me pague uma cerveja. Mas já me aconteceu, por exemplo, ter de optar entre apanhar um autocarro e beber um café (ganhava este, invariavelmente). Ou comprar comida fazendo atenção aos cêntimos.

Tinha resolvido não lhe dar nada, porque ontem ele teve uma atitude desagradável. Não comigo, mas uma coisa que lhe expôs o carácter como os calções lhe mostram as cuecas. Porém a verdade é que comprei coxas de frango congeladas para o jantar, os bicos do fogão nem para metáforas servem e acabei por lhe propor um negócio: eu dava-lhe os cinquenta cêntimos que faltam para ele comprar outra cerveja no chinês e em troca ele deixava-me usar um bocado do Bourbon com que anda a tratar uma constipação (tratamento de resto intensivo: começa ao pequeno-almoço e acaba muito depois do jantar).

Disse que sim, alegremente."Good deal". Alguém lhe deve ter oferecido a garrafa.

Infelizmente usei muito mais do que pretendia e vou dar-lhe dois dólares. Assim fica como começou.
(Acabei por lhe deixar três dólares: bebi uma rolhinha ou duas, para ver se ainda gosto de Bourbon. Gosto).

........
De maneira que o meu jantar hoje vai ser um bastante estranho: cebola, pimentos, quatro malaguetas das muito picantes e gengibre salteados em azeite, déglacés em cerveja (um fundo de garrafa que pus na panela para não beber). Frango congelado frito muito superficialmente, flambé em bourbon e posto na panela a cozer em leite de coco, ao qual foi copiosamente acrescentado pó de caril e pimenta.

Talvez não seja cozinha de fusão; mas mistela de fusão é com certeza.

........
A minha generosidade com o G. vem na sequência de um excesso de generosidade comigo: comprei uma garrafa de vinho que ainda não sei se é boa, mas que custou dois dólares mais do que a zurrapa habitual.

Pode ser-se pobre, mas não se devem ser miserável. O dia soberbo, sublime, mágico de hoje aguenta bem uma liberalidadezinha, um pequeno excesso ou dois.

........
A cozinha da Little - mas insisto compreensiva - Crew House não é das mais limpas que tenho visto. Nem das mais bem equipadas. Cozinhar aqui não é propriamente um prazer. Hoje hesitei bastante : uma boa garrafa de vinho ou um jantar fora?

O problema estava enviesado, claro. Nunca compraria uma boa garrafa de vinho para beber nas chávenas (não há copos) do hostel. Acabei por gastar menos no chinês do que gastaria indo comer a um restaurante, tenho jantar para três dias e ainda ajudei um inglês tosco. É irrelevante, eu sei; mas que se foda a relevância.

O vinho é efectivamente melhor do que o outro. Por seis dólares não se pode pedir muito mais. O frango... bem o frango fica para depois. Ainda está a cozer. A música no Lagoonies está como todas as sextas: boa, demasiado alta e uma seca.

Nao sou muito chauvinista. Não sou nada. Mas todos os proprietários de bar deviam ir fazer um estágio ao Café Tati, sito no Cais do Sodré, em Lisboa, para perceberem o que é uma boa programação musical.