23.8.15

Cansaço

Nado numa piscina de sono e cansaço. Alambuzo-me de camembert, Syrah, carne de porco e piripiri (tudo isto envolvido em cansaço como uma empada) e surpreendo-me: não é uma fatiga física. Não é sequer uma fatiga urgente: é plácida, inevitável como um dia de sol.

E a felicidade: sólida, tangível. Um paralelipípedo que nada comigo na piscina do sono.