15.2.16

Diário de Bordos - Palma de Mallorca, Baleares, Espanha, 15-02-2016

Amanhã vou-me embora. Ansiava por este momento e, como sempre, pergunto-me como quero parar, se a cada partida fico assim. A resposta é fácil: em primeiro lugar não quero parar completamente de navegar. Quero diminuir. E por outro quero fazer coisas de que gosto e me preenchem tanto como navegar, de maneira estar em terra não vai ser difícil. Vai ser tão bom como estar no mar, só que menos.

.........
O mau tempo passou. Hoje à tarde quando me levantei o céu era uma mistura de azul quase todo e ao longe o caos nebuloso da perturbação que andou por aqui estes dias. Amanhã vai ser motor de novo até ao cabo Nao. A seguir teremos vento - primeiro contra e depois a favor -.

Se a previsão se confirmar passamos Gibraltar com um levante de 30 nós. Não posso esperar. Sete ou oito dias até ao Funchal. Jurei a mim mesmo que nunca mais passaria o estreito com vento contra e tenciono respeitar essa promessa.

.......
Alguém me faz ver que tenho mais defesas do que uma manada de elefantes. Tenho pensado muito nisso. E algo me diz que vou continuar a pensar...

........
Vou com a tripulação jantar ao Molta Barra. Tentei lá ir uma vez mas estava demasiado cheio. A próxima vez que vier a Palma estou pronto para descobrir novas moradas. Esta ainda foi um pouco romaria: Antiquari, 5ª Puñeta, Café Verde, Indico... E El Puente, claro, que não conhecia mas ficou da família.

........
E é isto. E é muito. Cada dia mais e melhor. A minha mente já está do lado de lá do canal do Panamá. Anda sempre à frente ou atrás. Um dia vai aprender a andar ao lado, que também é bom.