24.5.16

Diário de Bordos - Cabo San Lucas, Baja California Sur, México, 24-05-2016

Há sempre um bolo e uma cereja para se lhe pôr por cima. Desta vez o bolo foi grande, o corpo todo decidiu reclamar destes maus tratos. Ontem uma intoxicação alimentar deixou-me de rastos e hoje o tinitus, exasperante tinitus. E há dois dias o herpes labial, mais sensível ao stress do que ao sol. Da intoxicação estou melhor mas não bom: foi forte. Do tinitus nunca estarei bom; o herpes tratei como de costume: dose cavalar de Aciclovir e em dois dias está longe. Até à próxima, espero venha longe, muito longe.

Esta foi má. Assim de repente só me lembro da regata da ESA, de tão má. Com uma diferença: da regata foi eu que fiz a catástrofe. Nesta não. Porra! Enfim, o que não mata engorda e em breve as cicatrizes estarão fechadas e  tinitus de qualquer forma não resiste a uma boa dose quotidiana de chá de gengibre e o herpes vai levar um bom bocado até me apanhar noutra e a intoxicação alimentar... hoje ainda tenho que ir comer àquele restaurante, mas agora devo estar vacinado. E daí talvez não, talvez consiga ir comer ao outro, de qualquer forma a verdade é que os tacos são baratos mas não compensam, os outros têm muito mais que comer. A diferença é de cinquenta cêntimos, em valores absolutos. Cem por cento para quem gosta de relativizar. Prefiro relativizar porque me chateia andar a contar dinheiro aos cinquenta cêntimos. Enfim. Em breve estarei no avião. Já faltou mais.

Por agora como a porcaria do pequeno-almoço do hostel, só açúcar mas que se lixe. Não deve andar muito alto, estes dias. O corpo que vá reclamar ao serviço de clientes, se quiser. Aqui é o que há.

........
Os jovens franceses foram-se embora. Foi um deles que me ajudou para pagar o hostel. Que sorte tive, no meio da merda. Não me refiro apenas ao dinheiro. Mais do que um prazer foi um privilégio conhecê-los.

........
Tenho de me ir deitar outra vez. Raio do estômago. Enfim, não é só o estômago. Estou mal no corpo todo. Hiper-sensibilidade febril, náuseas... Como se não chegasse o que vomitei ontem e a porra da diarreia, dictatorial, todo-poderosa, impromptue. Uma vez tive uma semana de cama com uma intoxicação. Foi em Lisboa. Estava num hostel em Belém e fui comer a um chinês ali perto. Uma semana sem me poder mexer. Apesar de tudo esta é mais suavezita.

É só uma cereja no bolo.