17.9.16

Imagina

É preciso imaginar um corpo leve, fluído em cima ou por baixo de ti, pouco importa para o objectivo: imaginar. Imaginar um corpo: ventre, mamas, olhos, uma cabeleira loura ou ruiva, lábios (é um corpo labirintico), mãos. Concentra-te nas mãos, no ventre. Tu estás nele e elas em ti. Imagina. Talvez a cabeleira seja morena. Equivalem-se os cabelos, as mãos, as mamas, os ventres. Tudo o que vês se equivale.

A diferença está no que ouves, as time goes by.

Como o tempo passa. Some day my prince will come. O que ouves mistura-se com o que queres ouvir, a kiss is just a kiss. Ne me quitte pas, je t'amenerai à l'ile de Ré, dis, quand reviendras-tu? Take five stolen moments why am I so black and blue no porto de Amsterdão?

A rapariga não canta tão bem como pensa que canta mas não faz mal. Um piano bem tocado paga tudo. Apaga tudo. Imagina, como dizia o outro.