27.12.16

Apologia do Facebook

Era um bocado ingénuo, sempre viveu nas margens (frequentemente do lado de fora delas). Filtrava a informação que lhe chegava: tinha uma capacidade prodigiosa de se alhear de tudo e todos os que não lhe interessavam (infelizmente a maioria das coisas e das pessoas).

Só começou a perceber verdadeiramente o mundo em que vivia quando por curiosidade começou a ler comentários a alguns posts no Facebook.