11.3.17

Acreditar

É como se um gajo se preparasse para engolir o anzol que a vida lhe pôs à frente desde que ele se conhece e evitou quando tinha isco de lagosta e agora não tem isco e o gajo apresta-se a engoli-lo isco e tudo.

Espera. Tem isco ou não tem, esse anzol que te vês a engolir e te dói dores imaginárias, dores a priori como se o que acontece antes de acontecer acontecesse?

Antecipar dores é tão estúpido como comprar uma casa porque se comprou um bilhete da lotaria. Ou acreditar no amor porque se é amado.