12.3.17

Diário de Bordos - Lisboa, 12-03-2017

Regresso a Lisboa de passagem, como sempre. A caminho de não sei onde. Um dia será "a caminho de Lisboa". Ou de Mallorca. Ou da Conchinchina. Para ficar.

A puta da cadela negra abocanhou-me há dois meses e não me larga. Não sei porquê - se soubesse já a tinha sacudido, não é? - Tem muito por onde morder, a cabra, diga-se de passagem. Do corpo à mona, passando pelo que nem de uma nem da outra depende.

Quem me dera estivesse ela de passagem por mim como eu estou por Lisboa, amada e vivida e tudo.

........
Volto a ti de passagem, Lisboa.  "Ejaculação precoce", dirias se fosses feminista. Não és. És mulher, simplesmente e sabes que todas as ejaculações são precoces.

.........
O Tati está cheio de estrangeiros. Vieram ouvir o Gonçalo, como eu.

É tão bom partilhar aquilo de que gostamos, não é?