29.3.17

O mar que eu navego

Perguntas-me Como estás? e eu respondo Bem, obrigado. Pudera: vejo mar, só mar à minha volta. A toda a volta, quero dizer. Para onde quer que olhe vejo mar.

Azul, muito calmo, quase sem vagas, parece uma gigantesca folha de papel que alguém amarrotou um pouco e depois desamarrotou com cuidado e ficaram as marcas. Azul.

De modo estou bem, rodeado de azul, parado porque não há vento mas como estou sem pressa não me preocupo muito. Estou bem. Impossível estar mal no meio do azul. Os ingleses - ou terão sido os americanos? Não sei - enganaram-se. Trocaram as cores. Azul significa alegria, bem estar, harmonia.

Não sei se já reparaste, mas hoje estás azul, toda azul. Da ponta dos cabelos - os quais continuam loiros - à ponta das unhas dos pés estás azul. Talvez sejas tu o mar que eu navego.