2.11.17

Mar, tempo e outros círculos

Foi na superfície do mar azul que comecei a ser. Talvez não: talvez seja ao contrário e tenha acabado de ser feito na superfície do mar. Não sei. Ninguém sabe, de qualquer forma, onde começa ou acaba. De uma coisa só estou seguro: no mar azul sou. Isto é: em terra também sou, mas o princípio - ou o fim? - estão no mar. A terra é uma parte da passagem, da viagem.

Sem ontem não há amanhã, sem hoje não há ontem, sem amanhã não há nada. O mar onde tudo começou e acabou não percebe nada de futuro ou passado. É como é.

Eu não sou como sou. Sou como me fiz, no mar azul; ou fui feito por ele. Uma mistura, quem sabe?

Sou esta mistura toda de corpos onde me perdi e me perderam, mar sem ontem nem amanhã - que raio é uma coisa sem tempo? - livros que não li, olhos que não vi ou não me viram.

Não sei o que é o tempo mas sei a forma que tem: é um círculo do qual o raio somos nós, cada um de nós. Somos o princípio e o fim. Mar.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.