21.1.18

Ventos, expostos

Penso "o mau tempo no canal passou" e alguém me responde "vai chamar canal a outro". Só para me lembrar que on n'est pas sortis de l'auberge, como dizem os gajos da terra onde há muitos canais. Bastantes, mesmo. Um dia gostava de os percorrer à séria, começar no norte e acabar no sul, partir para oeste e acabar a leste. Mas isso é um dia; hoje trata-se de deixar para trás o temporal e pensar "ainda não foi desta".

Exagero manifesto: ando armado em maricas pé-de-salsa, só para mudar um pouco. Um gajo farta-se de estar sempre a apanhar porrada e resistir a todas. Até os paredões se fartam e amolecem com o tempo, arranjam curvas para a água se acomodar melhor. "O estranho caso dos paredões judocas" podia ser um bom título. Ou então "Do bom uso da doença", livro de auto-ajuda e receitas de vida. Por exemplo "adoeça e meta-se na cama até desadoecer", mas essa é fácil, é o que todos fazemos todos os dias (se bem alguns saiam antes ou continuem depois, mas devem ser uma minoria). Eu sou mais do género de dizer "doente estava a tua tia e casou-se", excepto em dias como o de hoje; quero dizer o contrário: " a tua tia não se casou por estar doente", por exemplo, "se bem talvez tenha ido até à praia apanhar sol e ver os garotos, ela sempre gostou de putos mais novos do que ela", mas isso é coisa que não se diz nos jantares de família nem nas reuniões do conselho de administração da empresa familiar.

Verdade seja dita que ainda não passou completamente mas é como se: as depressões (as do mar, quero eu dizer meteorológicas) também passam e deixam um mar de merda, piramidal, ainda por cima um gajo tem pouco vento e fica ali a abanar como uma pastilha elástica na boca de um paranóico ou um peixe do qual o aquário se partiu e ficou sem água. Eu também estou assim. Já passou mas. Tudo o que for para além disso é trinta e um de boca, é como o peixe esperar que de repente o aquário se vai reconstituir e em breve tudo será como dantes.

Não será, claro: nunca mais nada será como dantes, o tempo é um exfoliante e vai-nos tirando camadas de células uma a uma; sem darmos por nada de repente estamos assim, expostos e nus aos implacáveis ventos da vida.