11.2.18

Retórica e vertigens

Calasso, outra vez: "de que falam os escritores quando nomeiam os deuses? Se esses nomes não pertencem a um culto - nem mesmo a esse culto no sentido figurado que é a retórica -..."

Tentei substituir retórica mas nada funciona: nem palavra nem literatura nem mesmo poesia. Ao princípio era a retórica e a retórica era Deus....

[A citação continua: "...qual será o seu modo de existência? "Os deuses tornaram-se doenças", escreveu uma vez Jung com uma brutalidade esclarecedora".]

Fica para depois. O meu sistema imunitário luta contra um vírus qualquer que me enche de vertigens e vou ajudá-lo, dormindo. De Jung conheço pouco mais do que do sexto ano do liceu dele retive (o inconsciente colectivo, tão bem desmontado por Guy Scarpetta no Eloge du Cosmopolitisme), mas tanta antecipação na clarividência é quase vertiginosa.