20.3.18

Miscelânea de fim de jornada, abençoada

O badanal continua e o pobre P. dá esticões nas amarras que me doem como se estivesse a levar murros do Mike Tyson. Pelo menos numa, a de estibordo. A bombordo passei um cabo decente, elástico e com uma mola, ainda por cima. Devia ter posto a mola no outro, mas agora é tarde. Amanhã vejo se encontro uma dúzia de metros de cabo de amarração.

E agora vou fechar a escotilha e ler as aventuras de Zeus e companhia. Cada vez gosto mais dos deuses imorais. Fazem tudo o que os gregos (e não só os gregos) queriam fazer e acham mal. Como se delegassem nos deuses a tarefa ingrata ou pesada ou insustentável de fazer asneiras.

(E penso naquela frase de um outro livro de Calasso: "se um deus não faz qualquer coisa inconveniente então não é um deus").