1.4.18

Domingo de Páscoa - II (continua, espero)

Não acredito em belezas complexas, complicadas. A beleza ou é simples ou não é.

Paz, calma, boa música tocada por um tipo competente, borrego para cima de muito bom, uma paisagem linda, óptimo vinho tinto, a edição da semana passada do FT Weekend, uma empregada com quem me casaria já se ela quisesse (do que duvido e pelo sim pelo não não lho pergunto), Roberto Calasso (a quem decidi dar mais umas páginas, isto dos raptos torna-se viciante): querem beleza mais simples?