2.6.18

Horizontais, verticais e enganos

Deslizo gentilmente pela música gregoriana das Benedictinas, pelo vinho sem sulfitos do supermercado biológico de Port de Andratx e - uma vez mais - percebo que o tempo é um arco que se morde a sim mesmo: quando esta música foi feita os vinhos não tinham sulfitos [por favor corrijam-me se estiver enganado].

Uma linha no horizonte. Mas ao contrário do que pensamos horizontal, paralela ao horizonte e não vertical: o tempo não é a linha que o Sol persegue. O Sol engana-se e engana-nos.