3.6.18

Yuri (3)

Se tivesse alguém a quem escrever, quem seria? O Yuri foi-se embora. Morreu. Caiu de um andaime que tinha sido mal montado por um colega. Do José não tenho sequer a morada. Não sei onde vive, como, com quem. Não quero saber: se quisesse bastar-me-ia ir à faculdade. A maioria dos meus amigos deixou de o ser, coisa que não lhes critico; aos que ficaram posso telefonar, encontrar-me com eles, explicar o que é amar um bloco de granito hiper-sensível. O que foi. Hoje só posso explicar o que é amar um morto.

Não é a mesma coisa do que amar um vivo que não fala?