18.7.18

Diário de Bordos - Palma, Mallorca, Baleares, Espanha, 18-07-2018

Os dias passam demasiados e demasiado depressa: mais dias do que tempo. Este Diário de Bordos bem podia passar a semanário.

Não que tenha trabalhado muito: este compasso de espera para a decapagem das obras-vivas foi isso mesmo: uma pausa.

Mas uma embarcação é como a natureza: tem horror ao vazio. Se não se faz uma coisa fazem-se outras, que o futuro se não for feito é sofrido. Antes fazê-lo do que desfazer-nos ele a nós.

Agora casco nuzinho no gelcoat, resina encomendada, contra-placas para os pernos da quilha a caminho a máquina embala-se. Uma vez terminada a quilha começa a instalação do motor. Depois a electricidade e a electrónica, mastreação e panos: se os dias continuarem assim amanhã de manhã estou a caminho das Canárias com o P. como novo, mais novo do que quando saiu dos estaleiros Green Marine em oitenta e três.

O longo prazo é uma sucessão de curtos prazos, diziam nos anos oitenta os gurus da gestão. Pois eu penso o contrário: o presente é uma sucessão de futuros.

Dito de outra forma: o presente é lindo e o futuro mais ainda, porque é a soma destas belezas todas.