26.8.19

Às escuras

Assim vamos pela noite esvoaçando: eu no dorso da águia, tu a águia. Por baixo de nós as luzes da cidade, pontos dispersos que nunca uniríamos mesmo que fosse preciso. Não é: tu sabes e eu também que aquilo é passado. Para a frente, o caminho está às escuras.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.