3.4.11

Livro de bordos - 15

Fui dormir ao Auberge du Marin. Não tem baratas, o que para quem acaba de passar três semanas numa embarcação infestada delas não é despiciendo. De resto, não tem nada, mas nada mais que o recomende: é escuro - o que pode ser visto como uma vantagem, porque a sujidade vê-se menos -, feio e o preço, se bem seja o mais barato da aldeia, não é nada por além: 34 euros por noite é o que eu pagava num apartamento bem equipado, limpo e também não muito longe da Marina. Bem, podemos acrescentar esta à lista de vantagens: não é longe da Marina. O meu quarto era grande, tinha duas camas de casal e uma mais pequena. A casa de banho não fica muito longe e também está muito suja. Felizmente acordo cedo e fui o primeiro a usá-la.

Em breve tudo isto será passado. Quero voltar depressa para o mar. Querer não é o verbo apropriado. Há momentos em que a terra é aterradora.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.