19.6.13

Água, corpo

São um rio, as palavras um corpo, procuram um leito uma foz onde desaguar, uma direcção; sem ele perdem-se, sem ela de nada servem. Dispersam-se impotentes no ar onde tu não estás, são como chuva no mar,  luz no vazio, mar sem vento.

Sem um leito as palavras secam, sem uma foz perdem-se. Sem ti as palavras são como uma noite sem ti, uma vida sem  noites, um leito sem água.