1.7.14

Multidões

Seria preciso pôr o coração de lado? Cortá-lo em bocados pequenos e dar cada um dos pedaços a cada mulher que amaste?

Talvez. Nisto do coração a simultaneidade é essencial. O coração é por excelência o órgão da sincronia, da reciprocidade - o nome que o coração dá à sincronia.




Na verdade pouco me interessam a sincronia, a reciprocidade, os bocados de coração, essas merdas todas que ele inventa para nos enganar.

Os corações ou vêm inteiros ou não vêm. A sincronia não existe. Estamos sempre uma vida atrasada, ou adiantada. Quando andamos ao lado de alguém somos três, dizia não me recordo quem.

Eu diria que somos uma multidão. Ou que nunca andamos ao lado de alguém.