19.1.16

Metade

É a história de um anjo a quem alguém chamou Ternura. Passava-me pela face todos os dias, roçava-me os lábios, olhava-me nos olhos a dizer-me Quando souberes voar estarei aqui para ti, mas até lá não.

Voar é fácil. Basta olhar atentamente para onde queres ir. A paz, por exemplo.

Mas os anjos são maus professores de voo. Aprenderam sozinhos a voar e voar sozinho é como beber metade do mar: parece muito, mas não passa de metade.