4.1.16

Sem título visível

É mais ou menos isto. Uma palavra que abreviada fica mais longa um tempo encurtado que nunca mais acaba uma mulher a quem alguém pergunta Você não tem fim. Tem princípio? responde Tenho, baixinho. Mas não saberias encontrá-lo mesmo que quisesses.

........
O caos é um sistema hipersensível que não se pode reproduzir porque a mais pequena variação leva a resultados completamente diferentes; um sistema cuja sequência de causalidades é inidentificável: não se pode deduzir onde começou e como chegou olhando para o que é.

Até breve pode assim transformar-se em até mais breve, por exemplo,  sem que seja possível deduzir de onde vem o mais.

(Mais é um erro, uma errância, um desvio, uma vagabundagem caótica por terrenos inexplorados).

(Mais é um medo, uma dúvida, uma pergunta sem resposta breve).

(Mais é um x que se revoltou).

(Mais é a luta de um texto entre parênteses pela liberdade).

(Mais uma tentativa para pôr ordem no caos).

(Mais é uma das suas palavras favoritas).

Mais rum mais sono mais tempo mais amor mais caos mais dúvidas mais medo mais curvas mais perguntas mais mar.

Mar é a resposta fácil a todas as perguntas. Mais mar. Mais vento. Mais.

Caos. Amor é metade do caos? Têm cinquenta por cento das letras em comum.

........
Poder-se-ia talvez dizer que um mar sem vento é uma vida sem amor. Ambos porém os termos da equação soam falso.

Não se pode por exemplo dizer de um mar sem amor que é um dia sem vento. Uma analogia só o é se for simétrica. O caos não é simétrico. Mais é.

Mais distância, mais tempo. Menos caos.

.........
Nada. O caos não funciona autonomamente; tende para a ordem se não receber energia do exterior.

Talvez o amor seja uma das formas da entropia cuja função é introduzir ordem no caos. Ou a luta entre o caos e a entropia.

Talvez o caos seja uma mistura disto tudo: amor, mar, vento, desejo, distância, até mais breve.

Talvez o amor seja breve ou longo, caótico ou ordenado; entropia negativa: neguentropia. Talvez.

a) Ordenar por ordem alfabética:

  • Amor
  • Até 
  • Breve
  • Caos
  • Distância
  • Mais
  • Mar
  • Tempo
  • Vento


b) Misturar e agitar num copo de dados ou num shaker.

c) Procurar um recipiente suficientemente grande para receber o resultado.

Faltam bastantes ingredientes.

Num processo caótico a introdução aleatória de um elemento pode alterar profundamente o resultado e torná-lo irreconhecível.

........
Alguns sistemas ordenam-se internamente numa lógica curvilínea, multi-axial que por vezes assume a forma transitória do sinal mais: rectilínea, perpendicular, bi-axial, simétrica. Acontece. Raramente. Acontece.

........
É preciso segmentar a vida em subsistemas:

  • Amor,
  • Mar (por vezes e erradamente associado ao vento),
  • Tempo (frequentemente coincide com distância).


Como definir um tempo sem vida / vida sem tempo / amor sem vida tempo?

Talvez o tempo seja a vida. Mais tempo mais vida.

Como explicar então que mais breve é mais vida?

Uma vida não tem sinónimos. Tem antónimos; extremos; caos.

Hesitante. Caos hesitante.

Chegámos.

........
Voltemos atrás.

A complexidade de um sistema mede-se pela entropia que gera?

Somos leves e livres. Por onde passámos?

........
O horizonte é uma fraude que se move com o observador. Não há caos no horizonte. É linear e explicável. Intocável.

Viajar não é procurar o horizonte; é fugir dele.

Trace-se por exemplo um rumo (setenta e cinco por cento de amor) numa carta. É preciso ter um plano se se quiser não o seguir. Não há caos num rumo mas a viagem é caótica. Um rumo, ou seja um conjunto de direcções. Quase um amor.

Um amor: quase um tempo. Mais amor: mais tempo mais breve. Mais hesitante. Mais vida.

Menos caos.

........
Estabilidade é um caos hesitante. Uma das formas do medo. Um rumo numa carta: é para ali que vamos mas não sabemos como ou quando chegaremos.

É preciso ver no medo a aventura. A aventura da estabilidade, por exemplo. O desafio. Um desafio hesitante.

Invisível.