30.3.17

Bom, mau

Bom... Por escrito tenho de grafar assim, três pontos. As reticências tem três pontos só, mas José seguia prolongar o som de tal forma que a certa altura parecia que só se ouvia o m.

José conseguia transformar consoantes em vogais. Enfim, semi-vogais, vá lá.

Se eu quisesse reproduzir mais ou menos o som teria de fazer qualquer coisa assim: Bo...om... ... ommm...Como se fosse um trissílabo. José fazia milagres. Levava-nos a todas, com aquele Bo...om... ...ommm.

Fazíamos fila à porta de casa dele.

Até que um dia a Mariana gritou Mau... à saída. Ma...a... ...au.... E desfez-se a ilusão.

Mau é aquilo em que o bom se transforma, dados o tempo suficiente e a pessoa certa.