5.7.17

Diário de Bordos - Genève, Suíça, 05-07-2017 / II

A Livresse é uma mistura de café e livraria que me atraiu pela localização, pela decoração (tradicional-simples-chic. O Marchand au goût du jour) e sobretudo - acima de tudo - pelo nome. Livresse é um jogo de palavras genial num país em que eles (os jogos de palavras. Geniais ainda mais) são raros.

É também um ponto de encontro e de militância sáfica, se bem isso se note pouco na frequência - nota-se na escolha dos livros e hoje na senhora que me serviu os demi-pastis. Tive que olhar duas vezes para perceber que era uma mulher.

É o equivalente feminino de uma tantouze e igualmente feio.

........
Fui à Payot. Quatro andares de livros. Têm tudo, incluindo Hildegarde e Teresa d'Ávila. O que não têm demora entre um dia e uma semana a chegar.

Se alguém me arranjar um emprego numa livraria eu prometo que não passo os dias a ler.