29.12.17

Ausência, leveza

Costumava dar-me o braço, para onde quer que fôssemos. "Anda sempre atrelada" costumava pensar. Mas era muito leve, parecia uma pena, mal a sentia, como se flutuasse agarrada a mim nas ruas escuras e frias do Inverno ou nas mesmas quase outras do Verão.

Um dia deixou-me e hoje sinto uma terrível falta daquela ausência.