10.1.18

Sonho, paisagem

Visto de fora o sonho parece uma autoestrada de leite e mel, livre, quente e cheia de sol; na realidade é um carreiro de montanha coberto de gelo e de neve, pedras e com portagens caríssimas. Sonhar sai caro, sobretudo quando não se tem dinheiro.

Não sonhar é mais caro ainda. A única vantagem que o realismo tem sobre o sonho é saber-se o que está para a frente: uma estrada plana, estreita, cinzenta que leva a lado nenhum vinda do nada.

Do sonho ao menos a paisagem é bela, por muito difícil que seja aceder-lhe.

Ou seja: há que escolher entre uma viagem de merda com uma vista bonita e uma confortável através de uma paisagem feia. O ponto de chegada é o mesmo.