2.1.18

Sono do céu

Tenho sono de marinheiro: vem a pedido e vai-se embora mal o enxoto.

Às vezes atrasa-se, vem de sem vento; outras fica-se mais do que devia. Mas são raros esses sonos de terráqueo.

O que descubro com prazer é o prazer de dormir: vem do céu, não da terra ou do mar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.