4.4.18

Alfabetos do amor

Penetrar-te com F grande, o maior que alguma vez me aconteceu e amar-te com o mesmo F e um A tão grande ou maior, acariciar-te com as M mais suaves que terás sentido, olhar-te com a pele mais bela que alguma vez terei visto.

Misturam-se-me as letras como te misturas tu comigo, com a vida, com os sentidos como se os sentidos tivessem letras e a vida não passasse de um alfabeto caótico do qual emerges como uma maiúscula num oceano de letras pequenas.