23.7.18

Palma, amada

Percorro-te as ruas, Palma minha amada, como percorro o corpo que amo: cada vez é a primeira e nunca haverá última.

Conheço-te os esconsos e as vielas que a cada passo descubro: conheço-te antes de te conhecer. As tuas ruas são as minhas mãos, os teus cafés a sua boca, a tua luz os seus olhos.