12.7.18

Sonhos e incêndios

Hoje acordei com um sonho bonito: uma ruiva a fazer-me um broche matinal, impromptu. Allegro, por vezes staccato. Enfim, percebem a ideia: um sonho melo-erótico.

Era bonito porque sou completamente preto (gosto de dizer assim, completamente, em vez de muito, por exemplo) e aquela cabeleira ruiva ao acordar pareceu-me um incêndio: tinha o ventre em fogo.

O resto já está ardido, queimado.