21.7.18

Verão / (Tudo menos o Inverno)

Mergulha-se no Verão como numa piscina de mel (para um árabe), whisky (para um escocês) ou outra coisa qualquer para outro gajo qualquer. Eu mergulho no Verão ao contrário: deixo que seja ele a mergulhar em mim, sem quaiquer conotações de outra índole. Como se fosse eu a piscina do Verão.

Entra por todos os poros (lembram-se daquele poema do Charles Baudoin sobre a Primavera?):

Mais l'air du printemps est une chose souple et tendre.
Les pores s'ouvrent, tout l'espace entre
en nous, et nous nous répandons délicieusement en lui.

Pois eu sinto-me assim na Primavera e no Verão (e às vezes no Outono, mas isso é outra história).