3.4.07

Cidadania

Não sei, e não vou procurar agora, se é o Público se é o Diário Económico que traz hoje uma notícia interessante: o Ministro das Finanças teria dado instruções para que as entidades públicas diminuam os prazos de pagamento.

Pessoalmente, penso que o deviam fazer o mais depressa possível: face aos prazos de pagamento habituais, qualquer cidadão tem, mais do que o direito, o dever de defraudar o Estado, o mais possível, o mais frequentemente possível, sempre que possa, sempre.

Esquecemo-nos, infelizmente, de duas coisas: a primeira é que o Estado é composto por pessoas; e quem nos rouba e nos engana não é o "Estado", são as pessoas que trabalham no, ou para, o Estado. A segunda é que se as coisas chegaram a este ponto é porque nós deixámos.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.