30.3.10

Fragmento

"Não respondas. Não é preciso. Quando atiro um seixo à água não espero que mo devolva; se escrevo uma palavra numa folha de papel não preciso que ela me escreva outra na pele".

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.