15.3.17

Palavras, vagas

As palavras vinham morrer no areal, vagas e enroladas como miúdas tímidas.

Vagas desempenha aqui um papel fundamental, ambíguo.  Qualquer pessoa percebe: vagas de palavras vagas, vagas enroladas em si próprias, vagas tímidas de miúdas enroladas, vagas. Como divagas, como devagar, como há vagas na vida?

Há: tantas como os grãos de areia nos quais as vagas vêm morrer, leves e rendidas. As palavras, quero dizer.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.