2.9.18

Diário de Bordos - Es Rapita, Mallorca, Baleares, Espanha, 02-09-2018

Ao longe, Cabrera. Todas as ilhas são uma tentação, uma promessa, uma esperança.

O restaurante nada tem de especial, excepto  a vista da ilha (de que tem o nome: Balco de Cabrera), o leitão no forno e a mousse de limão (excelentes) o serviço (simpático e eficaz) e - sobretudo - a senhora da mesa ao lado que se chama Helena Maria (sei porque alguém se lhe dirigiu assim. É um nome bonito e que lhe fica bem, tem o porte altivo mas não arrogante das Helenas bonitas). Entre mim e o mar há uma estrada, um parque de estacionamento (felizmente pequeno) e rochas, só rochas. Hoje é de esquecer a sesta. Já ter a sorte de conseguir nadar um bocadinho é isso mesmo. Já verei: um café, outra hierbas secas e lanço-me.  Falar no vazio e falar a seco são a mesma coisa.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.