29.9.18

Eles vivem

Bom, comecemos então pelo princípio sabendo que a seguir vem um zigzag.

Dentro do zigzag un cérebro e nele um corpo.

Dentro do cérebro, do corpo, dos traços ziguezagueantes que o amor deixa na pele (ou dentro dos traços lineares do desejo) aparece a sombra daquela mistura de amor, desejo, distância e vida que têm sido a tua vida, o teu amor e a distância à qual os vives, eles vivem.

Eles vivem: o teu olhar, o sono, uma senhora loira numa ilha Atlântica ou uma ruiva na penumbra.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.