3.12.18

Vida, aqui tão perto

Não me digas nada. Ouve comigo Gould maltratar Bach (e percebe que maltratar pode ser amar, às vezes). Bebe comigo um Limoncello, é demasiado doce mas não faz mal, bebe-se. Vive comigo este dia, tão perto do fim, dia que mais parece uma vida, um oceano.

Ouve-o espraiar-se em ti como se aqui estivesses, azul fosforescente que és como foi hoje o céu. Ouve-me: nunca estarás tão perto da vida.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.