27.7.07

Tudo acontece

Por uma vez, estou de acordo com Alberto João Jardim.

Pode estar-se a favor da legalização do aborto, mas ser contra o facto de eles serem feitos em hospitais públicos, que já não chegam para aquilo que têm realmente de fazer - tratar quem está doente. Nem a gravidez é uma doença, nem o aborto um tratamento.

Adenda - "O aborto no SNS não foi referendado
Vale a pena lembrar de vez em quando que o Alberto João Jardim não tem poderes para proibir o aborto na Madeira. Quem o quiser fazer em clínicas privadas é livre de o fazer. O que o Alberto João Jardim está a contestar é o aborto nos serviços públicos de saúde da região autónoma. O aborto nos serviços públicos de saúde não foi referendado. O que foi referendado foi a despenalização do aborto.
"

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.