4.7.19

Diário de Bordos - Palma, Mallorca, Baleares, Espanha, 03-07-2019

Às vezes deixo a bicicleta lá fora, quando volto para casa antes do jantar, para me obrigar a sair, não ficar fechado no quarto como se fosse um camarote a mil milhas de Bequia. Foi o que aconteceu hoje. Fui pedalar por estas ruas desertas, durante o dia são intransitáveis. Perde-se muito, claro: a luz do dia, a sensação de frescura, de refúgio do calor que estas vielas estreitas e fechadas são: não há calor que as abra. Mas ganha-se no espaço, na sensação de se escorregar pelo pavimento durante a noite como a luz escorregou durante o dia.

Hoje tive um prémio complementar: a Tasquita estava aberta, consegui beber um ou dois orujos e passar meia hora à conversa com a S., a dona. Nasceu na África do Sul, em Jo'burg e foi para Portugal com sete anos. Está em Mallorca há quatro anos (eu pensava que ela tinha nascido aqui...)

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.